WASHINGTON - O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Timothy Geithner, deve em seu discurso, previsto para esta terça-feira, que o Departamento do Tesouro, em conjunto com o Federal Reserve (O Banco Central norte-americano) e a agência federal de garantia de depósitos bancários (FDIC), trabalha para lançar um fundo de investimento público-privado que ajudará a avaliar os ativos das instituições financeiras . Este programa irá oferecer capital e financiamento do governo para alavancar o capital privado e fazer com que os mercados trabalhem novamente para os empréstimos e ativos que agora pesam em todo o sistema financeiro, segundo trechos divulgados do pronunciamento.

"Ao oferecer o financiamento que os mercados privados não podem oferecer agora, isso ajudará a iniciar um processo de criação de um mercado para os ativos relacionados ao setor imobiliário que estão no centro da crise", acrescenta.

O objetivo da administração "é usar o capital privado e gestores de ativos privados para ajudar a fornecer um mecanismo de mercado para avaliar os ativos", continua Geithner no trecho divulgado do discurso.

O chefe do Tesouro deve afirmar que nenhum plano de recuperação financeira pode ter sucesso sem reiniciar os mercados de securitização para empréstimos sólidos oferecidos a consumidores e empresas.

"Este é um desafio mais complexo do que qualquer outro que o nosso sistema financeiro tenha enfrentado, exigindo novos sistemas e atenção persistente para solucioná-lo", afirma Geithner no discurso preparado. "Mas o presidente (dos EUA, Barack Obama), o Tesouro e todo o governo estão comprometidos com isso, pois sabemos quão diretamente o futuro da nossa economia depende disso."

Em declarações na manhã desta terça-feira, Geithner deixou claro que pretende atrair investidores dos mercados de fundos "hedge", de investimentos e do sistema de seguradoras. O foco é atrair esse capital à compra de ativos de risco, principalmente aqueles formados pelo setor hipotecário (subprime).

Além disso, o secretário criticou a atual postura dos gestores dos  bancos norte-americanos, que, segundo ele, parecem trabalhar contra a recuperação da economia local. "Uma "dinâmica que precisa mudar".

Balanços

Os esforços até o momento para impulsionar o setor financeiro foram "inadequados" e o governo dos Estados Unidos precisa agora se concentrar em maneiras de ajudar o balanço dos bancos a ficar mais forte, avalia um segundo trecho do discurso já revelado.

"Vamos exigir que as instituições bancárias passem por um teste de estresse abrangente, para usar o termo médico", diz o discurso de Geithner. "Queremos os balanços deles mais limpos e mais fortes. E vamos ajudar neste processo oferecendo um novo programa de suporte de capital para as instituições que precisarem."

Ele afirma ainda no discurso que qualquer capital que o governo injetar nos bancos virá com condições. O governo quer assegurar "que cada dólar de ajude preserve ou gere capital de empréstimo acima do nível que seria possível na ausência do apoio do governo", diz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.