Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Redução de vôos internacionais eleva taxa de ocupação da Varig em junho

SÃO PAULO - A redução na oferta de vôos internacionais - especialmente nas rotas de longa distância - da Varig tem surtido efeito em termos de ocupação. No mercado doméstico, porém, a Varig registrou quedas significativas na ocupação, resultado do descompasso na evolução da oferta e da demanda nesse segmento. Na controladora Gol, a ocupação doméstica de junho se expandiu em relação a maio, mas caiu ante o mesmo mês de 2007. A empresa viu situação inversa no segmento internacional, com as taxas subindo na comparação anual e caindo na mensal.

Valor Online |

Os resultados, não muito positivos, ajudaram a influenciar nos negócios com as ações da companhia na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Os papéis PN da Gol fecharam em baixa de 6,19%, cotados a R$ 13,79, a maior queda do Ibovespa.

Segundo dados da Gol, os vôos internacionais da Varig saíram mais cheios em junho do que no mês anterior e que no mesmo período de 2007. A ocupação da empresa nessas rotas ficou em 57,8% em junho, 5,6 pontos percentuais a mais que maio e 8,9 pontos percentuais superior à taxa obtida em igual mês do ano passado.

No total, a demanda internacional da Varig (medida pelo número de passageiros pagantes multiplicado pelo número de quilômetros percorridos - RPK, na sigla em inglês), foi de 251 milhões em junho. Isso representa queda de 10,3% ante maio e alta de 50,2% ante junho de 2007. Por outro lado, a oferta da companhia (mensurada pelo número de assentos disponíveis multiplicado pelo número de quilômetros percorridos - ASK, no jargão) foi de 434 milhões. Em comparação ao mês anterior, houve queda de 19,2%, mas alta de 26,9% ante o mesmo mês do ano passado.

Na operação doméstica, a Varig apresentou demanda de 289 milhões RPK, 15,2% menos que em maio, mas 172,6% mais que em junho de 2007. A oferta de 467 milhões ASK, porém, caiu apenas 4,8% ante o mês anterior e cresceu 184,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. Em conseqüência, a ocupação doméstica da empresa foi de 61,8% em junho, 8 pontos percentuais a menos que em maio e 3,1 pontos percentuais abaixo da taxa de junho de 2007.

Na Gol, embora a taxa de ocupação da operação doméstica do mês passado tenha se mantido praticamente estável em relação a maio, ela caiu ante junho de 2007. Terminando o mês em 68,1%, ela ficou 0,3 ponto percentual acima daquela de maio e 3,5 pontos percentuais abaixo da de junho do ano passado.

Entre maio e junho, a oferta doméstica da Gol caiu 2,8%, para 2,28 bilhões ASK. Isso, porém, representou aumento de 12,4% ante o registrado em junho de 2007. Já a demanda da companhia nesse segmento recuou 2,5% em junho ante maio, e subiu 6,9% em relação ao mesmo mês do ano passado, tendo atingido a marca de 1,55 bilhão RPK.

Na operação internacional, a situação da Gol em junho foi inversa, com aumento na ocupação em relação igual mês de 2007, mas queda ante o mês anterior. Com marca de 59,1%, a taxa de ocupação recuou 2,4 pontos percentuais ante maio e subiu 9,7 pontos percentuais em relação a junho do ano passado.

A oferta internacional da Gol no mês passado, que foi de 235 milhões ASK, apresentou baixa de 1,6% na comparação mensal e de 26,7% na anual. Já a demanda, de 139 milhões RPK, teve retração de 5,4% ante maio e de 12% ante junho de 2007.

(José Sergio Osse | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG