O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, rebateu nesta quarta-feira críticas que, segundo ele, apontam preciptação nos debates do governo sobre a destinação dos recursos finaceiros gerados a partir da exploração de petróleo na camada de pré-sal.

"Começamos a discutir porque os que sempre ganham vão querer se apoderar do dinheiro antes de ele chegar a um destino nobre", disse. A previsão é de que os dividendos com a exploração sejam obtidos apenas em 2014.

Lula reafirmou, a uma platéia de reitores de universidades federais, que o dinheiro obtido na venda de derivados do petróleo explorado será aplicado em Educação. Essa descoberta só foi possível graças a investimentos na educação, em ciência e tecnologia, em professores e funcionários", disse.

Após solenidade de divulgação de aumento no número de vagas em universidades públicas federais, em 2009, no Palácio do Planalto, a ministra da Casa Civl, Dilma Rousseff, reforçou que os recursos com o petróleo em pré-sal não serão obtidos em curto prazo devido a limitações técnicas e não por falta de vontade ou dinheiro. Ela disse ainda que estudos sobre o assunto deverão ser apresentados pelo grupo interministerial criado para este fim.

"Não existe a hipótese de explorar o pré-sal de hoje para amanhã. O teste de longa duração [TLD] na bacia do Espírito Santo foi concluído ontem. O teste em Tupi [bacia de Santos] será concluído em março. A comissão interministerial vai se posicionar e oferecer alternativas para o presidente", afirmou. A previsão é de que o prazo para entrega destas alternativas seja prorrogado para além do dia 19 de setembro, incialmente definido.
Leia mais sobre  petróleo do pré-sal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.