SÃO PAULO - Segue sem definição a questão do pagamento dos dividendos da Eletrobrás, retidos desde a década de 80, e que somam R$ 8,5 bilhões. O presidente da estatal, José Antônio Muniz Lopes, garantiu hoje que os recursos já estão reservados, porém afirmou que a decisão sobre a data do pagamento dependerá de uma série de ações de governo.

Entre os pontos a serem considerados para o pagamento, Muniz Lopes chegou a citar o cumprimento do superávit primário. Na prática, o cronograma de pagamento dos dividendos será definido pelos ministérios de Minas e Energia e da Fazenda.

"A Eletrobrás tem todo o interesse em pagar, mas a empresa faz parte de um conjunto", completou o presidente da estatal, que participou em São Paulo de um evento do setor energético.

(Murillo Camarotto | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.