Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Recuperação espetacular em Wall Street termina com alta de mais de 10% (DJIA)

A Bolsa de Nova York registrou uma recuperação espetacular nesta terça-feira, impulsionada por um forte movimento de busca de ofertas, apesar da queda de confiança dos consumidores americanos: o Dow Jones subiu 10,88% e o Nasdaq, 9,53%.

AFP |

Segundo números definitivos de fechamento, o Dow Jones Industrial Average (DJIA) subiu 889,35 pontos, situando-se nas 9.065,12 unidades, e o Nasdaq, de alto componente tecnológico, ganhou 143,57 pontos, a 1.649,47.

O índice ampliado Standard & Poor's 500 aumentou 10,79% (91,57 pontos), a 940,49 pontos.

Depois de duas sessões em queda, nas quais atingiu seu nível mais baixo em mais de cinco anos, o mercado "havia registrado vendas excessivas", considerou Mace Blicksilver, da Marblehead Asset Management.

"É típico dos mercados em baixa dar um pulo de maneira completamente louca", acrescentou o analista, ressaltando que os investidores ajustam sua posição às vésperas da decisão de política monetária do Federal Reserve americano.

Os analistas prevêem uma nova redução da taxa básica de juros para tentar conter a crise, num momento em que a maioria dos economistas considera que os Estados Unidos já entraram em recessão.

A bolsa nova-iorquina, operando em forte alta desde o momento da abertura, reduziu uma parte de seus lucros de manhã, depois do anúncio de que a confiança dos consumidores despencou em outubro, muito abaixo das previsões dos analistas, a 38 pontos, nível nunca registrado desde a criação do índice, em 1967.

"A queda da confiança está diretamente ligada à percepção das condições econômicas, e deve levar as famílias americanas a manter suas carteiras fechadas", alertou o economista Joel Naroff.

"A confiança está em seu nível mais vaixo, mas o que mais poderíamos esperar?", indagou por sua vez Gregori Volokhin, da Meeschaert New York.

Entre os valores que mais subiram no Dow Jones, o fabricante aeronáutico Boeing ganhou 15,46%, a 48,91 dólares, após o fechamento de um acordo com o sindicato dos mecânicos IAM. Se aprovado pela assembléia da organização, encerrá a problemática greve que começou em setembro.

As ações da energia, atingidos pela queda dos preços do petróleo nas últimas semanas, também se beneficiaram com a busca por ofertas dos últimos minutos da sessão. A petroleira ExxonMobil subiu 13,27%, a 74,86 dólares, e a Chevron 13,47%, a 70,02 dólares.

As montadoras Ford e General Motors subiram, respectivamente, 5,91% a 2,15 dólares, e 14,68% a 6,25 dólares. Ambas podem ser beneficiadas pelo plano de resgate do sistema financeiro do governo americano.

O mercado obrigatório caiu. O rendimento dos bônus do Tesouro a 10 anos aumentou a 3,820%, contra 3,729% na noite de segunda-feira, e o dos títulos a 30 anos a 4,172%, contra 4,105%.

gmo/ap/tt

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG