A recuperação judicial da Varig antiga (Flex) foi prorrogada nesta quarta-feira até que sejam cumpridas todas as obrigações para a reestruturação da empresa. O prazo final para a recuperação judicial da Flex vencia quinta-feira, mas hoje a assembléia de credores da Flex que definiria o pagamento de suas dívidas por meio de papéis de dívida (debêntures) foi suspensa por 90 dias, prorrogáveis por mais 90 dias, o que na prática prorrogou o processo de recuperação judicial por seis meses - informação confirmada pela assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Rio.

A suspensão foi pedida porque o quadro geral de credores não foi concluído. Sem essa listagem, os credores não puderam votar pela aprovação da escritura das debêntures, pauta da assembléia de hoje.

Em comunicado, o juiz Luiz Roberto Ayoub, da 1ª Vara Empresarial, afirma não se tratar de prorrogação da recuperação judicial, porque a lei de Recuperação de Empresas não permite isso - embora, na prática, o período tenha sido estendido. Foram dois anos de proteção contra qualquer pedido de execução de dívidas ou de decretação de falência da companhia. Ainda de acordo com o comunicado, o juiz Ayoub informa que indeferiu um pedido da Fundação Ruben Berta, ex-controladora da Varig, para que a recuperação se encerrasse.

Leia mais sobre Varig

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.