Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Recessão nos EUA reativa a tempestade nas Bolsas

As Bolsas asiáticas registraram perdas consideráveis nesta terça-feira e as européias, que sofreram uma hecatombe na segunda-feira, voltaram a abrir em baixa, todas afetadas pela notícia de que os Estados Unidos estão em recessão.

AFP |

Nas primeiras operações européias, Londres perdia 1,43%, Paris 1,41%, Frankfurt 1,60% e Madri 0,98%.

Na região Ásia-Pacífico, o anúncio de um corte de um ponto percentual na taxa básica de juros na Austrália (a 4,25%) e de novas medidas para facilitar o crédito no Japão não foram suficientes para impedir baixas colossais.

A queda foi generalizada: -6,35% em Tóquio, -5% em Hong Kong, -3,3% em Seul e -4,2% em Sydney.

Na segunda-feira, as praças européias desabaram, com perdas de 5,19% em Londres, 5,60% em Paris e 5,88% em Frankfurt.

A Bolsa de Nova York também despencou na segunda-feira: o Dow Jones perdeu 7,70% (a quarta maior baixa da história) e a Nasdaq 8,95%.

O índice ampliado Standard & Poor's 500 retrocedeu 8,93%.

"Os dados econômicos parecem apontar para uma economia que vai de mal a pior. A inquietação geral é de que a recessão seja mais severa que o esperado", comentou Owen Fitzpatrick, do Deutsche Bank.

O Banco do Japão anunciou nesta terça-feira uma nova série de medidas para permitir que as empresas debilitadas pela crise financeira tenham acesso a crédito, em uma tentativa de frear a recessão que afeta a segunda maior economia mundial.

O comitê de política monetária decidiu ainda, por unanimidade, manter a taxa básica de juros em 0,30%.

As cotações do petróleo alcançaram nesta terça-feira, no início das negociações na Europa, os menores níveis desde 2005, em um mercado preocupado com a redução do consumo.

O barril de Brent do Mar do Norte para entrega em janeiro era negociado a 46,03 dólares, o menor nível desde 18 de fevereiro de 2005, em uma queda de US$ 1,94 em relação ao fechamento de segunda-feira.

O barril do West Texas Intermediate (WTI), negociado no mercado eletrônico em Nova York, perdia 1,92 dólar a US$ 47,36 dólares, o menor nível desde 20 de maio de 2005.

burs-it/fp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG