O faturamento nominal do setor de bens de capital mecânicos cresceu 25,7% nos cinco primeiros meses do ano em relação ao mesmo período de 2007, com um volume de R$ 29,6 bilhões, informou hoje a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Apesar do resultado positivo, o presidente da entidade, Luiz Aubert Neto, ressalta que ocorreu uma pequena desaceleração em maio na comparação com os resultados do primeiro quadrimestre do ano.

"O setor está crescendo, mas em cima de uma base fraca e ainda estamos visualizando uma queda no ritmo de crescimento", diz Aubert. Já o consumo aparente - indicador que analisa o faturamento do setor subtraindo as exportações e adicionando as importação - aumentou 33,3% no período, totalizando R$ 35,89 bilhões. O avanço no consumo aparente foi puxado pelas importações, que cresceram 43,5% nos cinco primeiros meses do ano sobre igual período de 2007.

Os desembarques de bens de capital no período somaram US$ 8,056 bilhões, com destaque para o incremento das compras de máquinas e equipamentos da China e do Japão, que saltaram no período, respectivamente, 70% e 79,7%. As exportações, no entanto, avançaram num ritmo inferior, de 10,7%, para US$ 4,439 bilhões. Dessa forma, o déficit comercial do setor atingiu US$ 3,62 bilhões - incremento de 125,8% sobre o saldo negativo dos cinco primeiros meses de 2007.

O crescimento superior das importações também reduziu a participação das vendas ao mercado externo sobre o faturamento do setor, que retraiu-se de 35% para 26%, de janeiro e maio de 2008. Entre os compradores das máquinas brasileiras, sete países da América Latina estão os dez principais mercados, representando 36% do total exportado. O principal destino das vendas continua sendo os Estados Unidos, com US$ 945,4 milhões, mas com uma queda de 6,6% nas compras.

Segundo a Abimaq, o nível de utilização da capacidade instalada cresceu 3% entre janeiro e maio, registrando um índice de 86% contra 83,5% em igual período do ano anterior. Já os pedidos em carteira aumentaram 1,8%, passando de 19,3 semanas para o atendimento da encomenda para 19,6 semanas em 2008.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.