Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Receita do setor de bens de capital sobe 26% até maio

O faturamento nominal do setor de bens de capital mecânicos cresceu 25,7% nos cinco primeiros meses do ano em relação ao mesmo período de 2007, com um volume de R$ 29,6 bilhões, informou hoje a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). Apesar do resultado positivo, o presidente da entidade, Luiz Aubert Neto, ressalta que ocorreu uma pequena desaceleração em maio na comparação com os resultados do primeiro quadrimestre do ano.

Agência Estado |

"O setor está crescendo, mas em cima de uma base fraca e ainda estamos visualizando uma queda no ritmo de crescimento", diz Aubert. Já o consumo aparente - indicador que analisa o faturamento do setor subtraindo as exportações e adicionando as importação - aumentou 33,3% no período, totalizando R$ 35,89 bilhões. O avanço no consumo aparente foi puxado pelas importações, que cresceram 43,5% nos cinco primeiros meses do ano sobre igual período de 2007.

Os desembarques de bens de capital no período somaram US$ 8,056 bilhões, com destaque para o incremento das compras de máquinas e equipamentos da China e do Japão, que saltaram no período, respectivamente, 70% e 79,7%. As exportações, no entanto, avançaram num ritmo inferior, de 10,7%, para US$ 4,439 bilhões. Dessa forma, o déficit comercial do setor atingiu US$ 3,62 bilhões - incremento de 125,8% sobre o saldo negativo dos cinco primeiros meses de 2007.

O crescimento superior das importações também reduziu a participação das vendas ao mercado externo sobre o faturamento do setor, que retraiu-se de 35% para 26%, de janeiro e maio de 2008. Entre os compradores das máquinas brasileiras, sete países da América Latina estão os dez principais mercados, representando 36% do total exportado. O principal destino das vendas continua sendo os Estados Unidos, com US$ 945,4 milhões, mas com uma queda de 6,6% nas compras.

Segundo a Abimaq, o nível de utilização da capacidade instalada cresceu 3% entre janeiro e maio, registrando um índice de 86% contra 83,5% em igual período do ano anterior. Já os pedidos em carteira aumentaram 1,8%, passando de 19,3 semanas para o atendimento da encomenda para 19,6 semanas em 2008.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG