SÃO PAULO - O reajuste salarial dos funcionários da Embraer na sede em São José dos Campos será definido pela Justiça do Trabalho, após a falta de um acordo na segunda audiência de conciliação entre os representantes dos trabalhadores e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que representa os interesses patronais. Ambas as partes rejeitaram a proposta de um aumento nominal de 7,56% do desembargador Luis Carlos Sotero, presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, de acordo com comunicado do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos. O desembargador determinou que o caso também seja analisado pelo Ministério Público do Trabalho.

Segundo o sindicato, que reivindica aumento de 13,84%, a data do julgamento ainda será definida. Os trabalhadores também querem antecipação da data-base de novembro para setembro, redução da jornada sem redução de salário e estabilidade no emprego.

(Eduardo Laguna | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.