Nova York, 22 fev (EFE).- A empresa americana Readers Digest Association, uma das maiores editoras de livros e revistas do mundo, anunciou hoje que terminou seu processo de reestruturação financeiro judicial.

Responsável pela publicação de 92 revistas, a companhia chega a cerca de 130 milhões de consumidores em 78 países, afirmou que saiu "bem capitalizada" do Capítulo 11 da Lei de Falência dos Estados Unidos, que protege às empresas frente aos credores enquanto se reorganizam.

Além disso, assinalou que reduziu sua dívida em 75% com relação aos US$ 2,2 bilhões que tinha acumulado no inicio do processo de reestruturação, em agosto passado.

A editora manifestou em comunicado de imprensa que, após melhorar de forma significativa sua estrutura de capital, que está em condições de continuar sua transformação em direção a "uma companhia com múltiplas plataformas e marcas, que educa, diverte e conecta a 130 milhões de pessoas no mundo".

A editora dispõe de US$ 525 milhões em recursos financeiros após refinanciar diversos bônus, o que representará uma economia de US$ 30 milhões anuais em juros.

Como parte do processo de reestruturação, a empresa nomeou um novo Conselho de Administração de oito membros e a frente dele estará Norman Mathews, antigo presidente da empresa Federated Department Stores. EFE vm/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.