O presidente do Equador, Rafael Correa, qualificou de tremendamente lesivos para o Estado os contratos com a construtora Odebrecht e exigiu que a empresa brasileira repare os danos em todas as obras que fez ou saia do país.

"Arrumem rápido o que fizeram (na hidrelétrica San Francisco) e arrumem rápido o resto dos contratos, que são tremendamente lesivos para o país. Não apenas deixem o país; não descansarei até divulgar ao mundo o que tem feito neste país", afirmou o president na noite de domingo.

"Se não prestarem contas se vão", disse, antes de completar: "Estou até aqui com Odebrecht, quanto mais cavo mais encontro. Estes senhores têm sido corruptos e corruptores, têm comprado funcionários do Estado".

"O que se tem feito é um assalto ao país", disse a respeito dos contratos com a empresa brasileira, que ainda tem as atribuições de construção de uma estrada, um aeroporto e outra central hidrelétrica.

O Equador militarizou semana passada hidrelétrica de San Francisco (sul andino) construída pela Odebrecht, depois do ultimato dado à empresa para que repare imediatamente os danos provocados pela paralisação da central ou abandone o país.

San Francisco, a segunda hidrelétrica equatoriana cuja não operação ameaça o abastecimento energético do país, paro de funcionar um ano depois de ser entregue por uma falha nas turbinas.

SP/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.