Recuperem o juízo , pede presidente do BCE aos mercados - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Recuperem o juízo, pede presidente do BCE aos mercados

Recuperem o juízo, lançou nesta quinta-feira o presidente do Banco Central europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, aos operadores dos mercados financeiros, que continuaram em queda nos Estados Unidos e na Europa, apesar de uma baixa coordenada das taxas de juros decidida por seis bancos centrais.

AFP |

Trichet fez o alerta em entrevista à rede de televisão France 3. "O pessimismo excessivo é mau conselheiro", disse ele.

O Banco Central europeu (BCE), o Federal Reserve americano (Fed) e suas contrapartes sueca, britânica, canadense e suíça reduziram suas taxas respectivas em meio ponto de maneira coordenada, sem conseguir, no entanto, evitar a queda nas Bolsas de valores.

Trichet qualificou a redução coordenada das taxas de juros, estabelecida nesta quarta-feira, de "extremamente substancial".

"Estamos unidos em todo o planeta. Pedimos a todos os atores do mercado, que se encontra em um estado de turbulência acentuada, que recuperem o juízo, os elementos de confiança estão aí".

Trichet pediu que as decisões do BCE não sejam julgadas apenas "momentaneamente", porque "momentaneamente os atores econômicos e financeiros" não têm a perspectiva para "analisar as coisas".

"Não estamos trabalhando para influenciar nas questões imediatas, e sim para recuperar a confiança, que desapareceu".

"Podemos dizer ao mercado que retomamos o controle da estabilidade dos preços no médio prazo", prosseguiu o presidente do BCE, fazendo alusão à baixa das pressões inflacionárias na zona euro em decorrência da queda dos preços do petróleo.

"Baixamos as taxas de juros (...) foi algo extremamente substancial" a redução coordenada realizada na quarta-feira. "É uma medida muito importante".

"Pedimos a todos os responsáveis que estejam a altura de suas responsabilidades, aos responsáveis privados e aos responsáveis públicos", destacou o presidente do BCE.

"Vamos todos a Washington para as assembléias anuais do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial (...) É muito importante que nosso envolvimento seja o maior possível. Para a Europa, o lema deve ser a unidade".

ved/mw/sd/LR

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG