O presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentou ontem, no Vietnã, uma avaliação positiva em relação à inflação e afirmou que a tendência é a queda do índice oficial do País (IPCA, que serve de referência para o regime de metas) para algo entre 4,5% e 4,9% em 2009. Os prognósticos, mesmo os mais conservadores, indicam uma melhoria no ano que vem, afirmou o presidente.

"Estou convencido de que o preço de alguns alimentos que subiram demais já bateram no teto e a tendência agora é começar a cair", declarou Lula, segundo o qual a previsão do governo para o índice de preços deste ano está em 5,7%.

O presidente observou, ainda, que o forte aumento dos investimentos por parte das empresas será outro fator que reduzirá a pressão sobre os preços no próximo ano. "Essa empresa só vai deixar de ser consumo quando começar a produzir e virar oferta", ressaltou. "As empresas estão se modernizando e inovando em tecnologia e penso que vai haver um encontro com a verdade em 2009."

O aumento dos investimentos é o principal fator da expansão superior a 60% das importações neste ano, sustentou o presidente. Segundo ele, 70% das compras externas do País são de máquinas e equipamentos destinados à elevação da capacidade de produção.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) liberou R$ 90 bilhões em financiamento em 2008, disse Lula, o dobro da média de anos anteriores. O presidente destacou investimentos nas áreas de cimento, siderurgia, metalurgia e refino.

Lula disse, ainda, que não é o real que se está valorizando ante o dólar, mas a moeda americana é que está "desmilingüindo" diante de todas as outras moedas. O presidente atribuiu o movimento a uma política deliberada do governo dos Estados Unidos para resolver seu duplo déficit fiscal e comercial.

Depois de defender a diversificação de mercados das exportações brasileiras, ele minimizou o impacto da valorização do real em relação ao dólar sobre a balança comercial.

Mais exportação

Ao seu lado, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, disse que o governo acaba de aumentar a previsão de exportações deste ano de US$ 180 bilhões para US$ 190 bilhões, um indício de que as vendas continuam fortes apesar do fortalecimento da moeda brasileira.

O presidente Lula fez ontem a primeira visita de um chefe de Estado brasileiro ao Vietnã, dentro do objetivo de ampliar as relações e o comércio com a Ásia. Hoje, o presidente estará no Timor Leste e, amanhã, na Indonésia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.