WASHINGTON - O chanceler da Argentina, Jorge Taiana, disse nesta sexta-feira que o Grupo dos Vinte (G20, que reúne os países mais ricos e os principais emergentes) precisa se consolidar para evitar que a crise financeira afete os países emergentes que, em sua opinião, não devem pagar por uma crise que não geraram.

O Chanceler faz parte da comitiva que acompanha a presidente da Argentina, Cristina Fernández Kirchner, para participar da Cúpula, neste sábado, em Washington, e que durante todo o dia teve uma ocupada agenda de reuniões bilaterais.

Taiana lembrou que os países em desenvolvimento foram responsáveis por dois terços do crescimento mundial nos últimos anos, e por isso "é preciso tentar que mantenham seu nível de atividade e evitar que uma crise que não foi originada em nossos países possa acontecer".

O diplomata afirmou que os estímulos dos países desenvolvidos "devem estar orientados ao fortalecimento da demanda e da economia real", para manter o consumo e evitar que a recessão afete os emergentes.

Entre as reuniões bilaterais à véspera da Cúpula do G20, Cristina se encontrou com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para definir uma postura que destaque "a importância de coordenar posições" para defender o emprego e fortalecer a economia de seus países antes que eles sejam afetados pela crise.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.