Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Quem gosta de crise é economista, afirma Lula

BRASÍLIA ¿ Quem gosta de crise é economista, porque sem crise os comentários ficam sem razão de ser. A afirmação foi nesta quarta-feira pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante a posse da nova diretoria do Sebrae nacional. Na ocasião, o presidente fez referência a uma citação do carnavalesco Joãosinho Trinta: O povo gosta de luxo, quem gosta de miséria é intelectual.

Carollina Andrade - Último Segundo/Santafé Idéias |

Ao comentar a atual situação do Brasil diante da crise financeira mundial, Lula teceu críticas àqueles que o classificam como eterno otimista. "Acho muito engraçado alguém achar ruim eu ser otimista. Quem nasce onde eu nasci e não morre antes dos cinco anos de idade não tem razão para reclamar", ressaltou o presidente.

De acordo com Lula, o Brasil tem condições para enfrentar a crise,  que, segundo ele, surgiu nos países desenvolvidos. "O Brasil é, hoje, o País que tem mais condições de enfrentar a crise, porque nós fizemos a lição de casa quando alguns queriam que gastássemos ou fizéssemos extravagâncias", ressaltou.

O presidente disse ainda que o Brasil irá participar, no dia 2 de abril, de um encontro do G-20 em Londres, no qual ele pretende defender um maior controle do sistema financeiro internacional. "Vamos a Londres para dizer que o mundo precisa controlar o sistema financeiro. Tem que limitar a alavancagem, controlar o mercado futuro. Quem quiser especular no mercado futuro, na hora que for especular deposita uma parte em dinheiro, na hora, porque o mundo não pode virar uma ciranda e ser vítima da especulação, para transformar aqueles que estavam fazendo a coisa certa em vítima da crise", acrescentou ele.

"Nós não temos o direito de fazer com que pessoas paguem a conta mais uma vez. Não temos o direito de levar a classe média a mais um sacrifício", finalizou.

Leia tudo sobre: crise financeiralula

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG