O governo vai implantar, a partir de agosto, um novo modelo de cobrança de dívidas tributárias para facilitar o pagamento de dívidas de até R$ 10 mil, e vai passar a incluir o nome dos devedores na lista da Serasa, uma espécie de lista negra de inadimplentes.

O Programa de Incentivo ao Pagamento de Débitos Tributários de Pequeno Valor, será adotado em conjunto com um novo modelo de cobrança de dívidas tributárias, e favorecerá a extinção, quitação ou parcelamento de dívidas até R$ 10 mil, dependendo do prazo de vencimento.

"Se estamos facilitando o pagamento, por outro lado, vamos implementar a Serasa", afirmou o procurador-geral da Fazenda Nacional, Luiz Inácio Adams. Por meio de consulta à Serasa, é possível ter acesso a informações sobre pessoas, empresas e setores da economia para avaliação de risco em operações de crédito ou qualquer tipo de transação comercial. Polêmica, a medida foi anunciada no ano passado pela PGFN, mas até agora não foi adotada.

O programa deve agora ser lançado em agosto por meio de uma medida provisória, junto com outros quatro projetos de lei que pretendem modernizar a cobrança e tornar mais rápida a recuperação de débitos tributários inscritos e não inscritos na dívida ativa da União, que hoje somam R$ 1,3 trilhão. O objetivo do governo é recuperar entre 5% e 10% desses créditos por ano, uma meta ambiciosa se comparada com o resgate atual, que não chega a 1%.

Com o programa, o governo quer promover uma limpeza no estoque de créditos de pequeno valor de até R$ 10 mil. Os débitos nesse valor vencidos há mais de cincos anos, com data de corte em 31 de dezembro de 2007, serão extintos, medida que vai acabar de uma só vez com 2,1 milhões de processos. Os demais débitos de pequeno valor poderão ser pagos com redução de multas, juros de mora e encargos. As vantagens serão maiores quanto menor o prazo de pagamento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia mais sobre Serasa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.