Tamanho do texto

O presidente do consórcio Norte Energia - vencedor do leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte realizado hoje -, José Ailton de Lima, informou que a Queiroz Galvão, empresa que também participa do grupo, solicitou um tempo para pensar se continuará a participar do consórcio. Lima, que também é diretor da Chesf, não foi claro em relação ao motivo que teria levado a uma possível desistência da construtora.

O presidente do consórcio Norte Energia - vencedor do leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte realizado hoje -, José Ailton de Lima, informou que a Queiroz Galvão, empresa que também participa do grupo, solicitou um tempo para pensar se continuará a participar do consórcio. Lima, que também é diretor da Chesf, não foi claro em relação ao motivo que teria levado a uma possível desistência da construtora. "(A empresa) pode não ter ficado satisfeita com a nossa proposição", disse.

Segundo ele, apenas a Queiroz Galvão teria pedido um tempo para análise. "Eu tenho esse papel. Eu tenho que colocar a obra de pé com o menor orçamento. As empreiteiras às vezes não têm esse papel, têm outro, mas não cabe a mim fazer julgamento de valor", considerou.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) não trabalha com essa possibilidade, segundo a assessoria de imprensa. Até porque, pelas regras do leilão, não pode haver mudanças na formação do consórcio até a data de outorga, que é 23 de setembro. Caso a saída da construtora seja confirmada, caberão penalizações aos participantes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.