Tamanho do texto

Segundo instituto, números de março foram distorcidos pela Páscoa e baixa no mês passado já era esperada

Os resultados do comércio brasileiro no mês de abril, anunciados nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), geram uma “ordenação correta” nas estatísticas do varejo nacional. A avaliação é do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi). Segundo o Iedi, os numeros de março foram inchados pela Páscoa, o que gerou distorções na avaliação do varejo e da economia como um todo.

“Gradativamente o varejo brasileiro está se acomodando após a ocorrência de situações muito especiais (efeito Páscoa, fim de incentivos na compra de bens duráveis e automóveis), o quê vem determinando menores taxas de evolução, mas mantendo ainda assim um padrão de crescimento elevado e dinâmico”, avaliou o Iedi.

Hoje, o IBGE divulgou que o comércio varejista registrou queda de 3% no volume de vendas e alta de 0,3% na receita nominal em abril, na comparação com o mês anterior. Enquanto a receita nominal se manteve praticamente estável, o volume de vendas no setor apresentou resultado negativo após um trimestre de crescimento.

Apesar do recuo nas vendas, o Iedi pontua que o varejo deve ter uma alta na casa dos 10% no acumulado de 2010, “ou seja, o mesmo perfil de variação que prevalecia antes da crise.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.