Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Putin visita Venezuela e negocia novos acordos com Chávez

Moscou, 31 mar (EFE).- O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, visitará a Venezuela pela primeira vez na próxima sexta-feira quando deve se reunir com o presidente venezuelano, Hugo Chávez, e negociar novas áreas de cooperação, informou hoje o Governo da Rússia.

EFE |

Moscou, 31 mar (EFE).- O primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, visitará a Venezuela pela primeira vez na próxima sexta-feira quando deve se reunir com o presidente venezuelano, Hugo Chávez, e negociar novas áreas de cooperação, informou hoje o Governo da Rússia. "Esta será a primeira visita de Putin à Venezuela, embora pessoalmente o presidente mantenha contato com Chávez desde o ano 2000", disse um representante do Executivo russo à imprensa. O último encontro os governantes foi em setembro durante uma visita do venezuelano a Moscou. Por sua vez, o atual presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, visitou a Venezuela em novembro de 2008. Putin e Chávez devem assinar uma série de acordos de cooperação, além de participar juntos de uma entrevista coletiva. Também espera-se que sejam concretizados os planos de vender 2,2 mil automóveis Lada, de fabricação russa, à Venezuela assim como de construir plantas de montagem e de manutenção de automóveis. Não se descarta que Putin e Chávez tracem novos planos de cooperação militar, pois nos últimos anos a Venezuela se transformou em um importante cliente - e o maior na América Latina - da indústria russa de armamento. A agência oficial russa RIA Novosti lembrou que, desde 2005, Caracas comprou diversos armamentos, em particular aviões de combate, helicópteros e fuzis Kalashnikov, por um montante de pelo menos US$ 4 bilhões. Em setembro, durante a visita de Chávez a Moscou, a Rússia aceitou, além disso, conceder à Venezuela um crédito de US$ 2,2 bilhões para a compra de outros armamentos. As relações entre Rússia e Venezuela aumentaram notavelmente com as visitas mútuas de seus dirigentes, que assinaram numerosos acordos de cooperação e transferência tecnológica em diversas áreas, entre elas a econômica, comercial e militar. Em matéria petrolífera, Rússia e Venezuela assinaram no dia 1 de fevereiro em Moscou um convênio para a criação de uma empresa mista que extrairá petróleo na Faixa do Orinoco, no centro-leste venezuelano, onde estima-se que exista a maior reserva mundial de petróleo. O acordo foi assinado durante uma reunião entre Putin, Rafael Ramírez, o ministro da Energia e presidente da estatal Petróleos de Venezuela SA (PDVSA), e o diretor-geral do Consórcio Nacional Petroleiro (CNP), Valeri Rusakov, que agrupa às maiores companhias energéticas russas. Nesse dia Putin também anunciou a disposição de Moscou de fornecer plantas elétricas móveis com turbinas a gás a Caracas para fazer frente aos graves problemas enfrentados pelo setor hidrelétrico venezuelano por causa da atual seca. Além disso, foi combinada a assinatura de um contrato para fornecer à Venezuela caminhões e automóveis russos, assim como para construir um centro para sua manutenção em território venezuelano. EFE se/pb
Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG