Paris, 11 fev (EFE).- O grupo PSA Peugeot Citroën, que anunciou hoje perdas de 343 milhões de euros em 2008, prevê a demissão voluntária de mais 11 mil assalariados da empresa em 2009, anunciou a diretora financeira do principal construtor automotivo francês, Isabel Marey-Semper.

"Esperamos que mais de 11 mil pessoas deixem o grupo em 2009, dentro das demissões voluntárias", afirmou a diretora, na apresentação dos resultados à imprensa.

O quadro de funcionários do grupo era de 207,85 mil pessoas no mundo todo em 2007.

A empresa reiterou que não haverá demissões forçadas nem o fechamento de unidades na França em 2009, condição que o presidente da França, Nicolas Sarkozy, juntou a seu plano de apoio ao setor, que contempla ajudas diretas do Estado no valor de 6,5 bilhões de euros, dos quais 3 bilhões de euros irão para a PSA.

A saída de cerca de 11 mil funcionários da firma ficará completa em 2010, disse Marey-Semper.

O grupo mantém a hipótese de uma nova retirada, da ordem de 20%, dos mercados automobilísticos na Europa ocidental em 2009 e um mercado estável em 2010, afirmou, em comunicado, o presidente do grupo, Christian Streiff, que acrescentou que "o primeiro semestre de 2009 será particularmente difícil".

Em dezembro do ano passado, a PSA Peugeot Citroën já tinha anunciado um plano de saídas voluntárias para 3,55 mil empregados, enquanto o fabricante de autopeças Faurecia, do qual a PSA é acionista, tinha feito o mesmo com um plano que afeta 1,215 mil trabalhadores na França entre 2009 e 2011. EFE jaf/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.