Tamanho do texto

BRASÍLIA - Para o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, a prorrogação do swap de US$ 30 bilhões junto ao Fed demonstra que o banco central americano mantém a confiança no Brasil e reforça a posição do país entre as economias saudáveis. Ele assegurou ainda que os recursos reforçam o caixa da autoridade monetária para prover o mercado exportador de moeda estrangeira.

Inicialmente anunciada em 29 de outubro de 2008, a linha de swap venceria em 30 de baril deste ano, mas foi prorrogada para até 30 de outubro.

É a seguinte a declaração do presidente do BC:
"A extensão do swap de moeda recíproco com o banco central norte-americano (Fed), no montante de US$ 30 bilhões, demonstra confiança nos fundamentos da economia brasileira, ao mesmo tempo em que amplia a capacidade do Brasil em prover liquidez no mercado cambial. A medida reforça a posição do Brasil entre os países com políticas econômicas saudáveis e importância sistêmica, segundo os critérios do Fed " , disse Meirelles."
O Fed decidiu renovar as linhas de swap de moedas não apenas com o Brasil, mas também com os BCs da Austrália, Canadá, Cingapura, Coreia, Dinamarca, Inglaterra, México, Noruega, Nova Zelândia, Suécia, Suíça e com o Banco Central Europeu.

Em seu comunicado, o BC ressalta que a linha não "implica condicionalidades de de política econômica".

(Valor Online)