O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveita o encontro entre Brasil, Índia e África do Sul, amanhã, em Nova Délhi, para reiterar a sua tese de que é preciso criar uma nova ordem financeira mundial e reabrir as negociações da Rodada Doha como um sinal positivo de que a economia passará a ser regulada por um organismo global. Lula quer, ainda, que os países em desenvolvimento tenham voz nesse reordenamento mundial.

"Queremos ser protagonistas, e não vítimas de decisões tomadas por outros", dirá ele no discurso que fará amanhã na abertura do Fórum Ibas, que reúne os três países. Lula vai observar que eles não podem ser "vítimas" de uma crise financeira gerada nos países mais ricos. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.