O Ministério Público de Alagoas instaurou procedimento administrativo para apurar denúncias de que empresários do setor sucroalcooleiro teriam se beneficiado com renúncia fiscal de R$ 1,5 bilhão. A anistia fiscal teria sido articulada pela secretária da Fazenda, Fernanda Vilela, irmã do governador Teotônio Vilela Filho (PSDB) e mulher do senador João Tenório (PSDB), que preside a Cooperativa dos Usineiros de Alagoas.

A secretaria negou ter ocorrido a renúncia fiscal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.