Buenos Aires, 11 jul (EFE).- Duas comissões do Senado argentino dominadas pela situação concluíram hoje a discussão sobre o esquema de impostos às exportações de grãos, que originou um conflito entre o Governo e as entidades agropecuárias.

As comissões de Orçamento e de Agricultura foram favoráveis ao projeto do Executivo, que já passou pela Câmara dos Deputados e aprova os impostos móveis vigentes desde março.

No entanto, um legislador dissidente do peronismo governante e várias forças opositoras apresentaram diferentes propostas alternativas à do Governo, que conta com maioria no Senado.

O debate sobre o polêmico esquema tributário, que no sábado passado recebeu o sinal verde dos deputados depois de uma apertada votação, está previsto para a próxima quarta-feira na Câmara Alta, composta por 72 membros.

O conflito entre o campo e o Governo começou no dia 11 de março, quando o Ministério da Economia ditou uma resolução impondo impostos móveis às exportações de grãos.

A rejeição ao novo esquema tributário gerou quatro greves comerciais, bloqueios de estradas, mobilizações e desabastecimento de alimentos e matérias-primas para a indústria.

Em meados de junho, a presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, anunciou o envio ao Parlamento de um projeto de lei para a ratificação dos impostos. EFE hd/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.