SÃO PAULO - A cesta básica ficou 0,69% mais cara na cidade de São Paulo na comparação entre os dias 3 e 9 de outubro, conforme mostra a pesquisa realizada pelo Procon-SP em convênio com o Dieese. O grupo de produtos, que antes era encontrado pelo preço médio de R$ 293,07, passou a custar R$ 295,10.

A alta nos grupos Higiene Pessoal (1,54%) e Alimentação (0,83%) determinaram a elevação do preço da cesta, apesar da queda em Limpeza (-1,01%).

Os produtos responsáveis pela maior parte do aumento da cesta foram a batata (21,74%), o absorvente aderente (4,29%), o feijão carioquinha (3,87%), o papel higiênico (2,86%) e o sabonete (1,67%). Na mão oposta, os itens que mais tiveram queda no seu preço e impediram que a inflação na cesta fosse maior foram os ovos brancos (-5,05%), a salsicha (-4,21%), o alho (-3,39%), a margarina (-2,68%) e a lingüiça (-1,97%).

Dos 31 produtos pesquisados pelo Procon-SP, 16 apresentaram alta de preços, 13 mostraram redução e os dois restantes permaneceram com preço estável. Nos últimos 12 meses, a cesta paulistana acumula alta de 23,89%.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.