Tamanho do texto

Porto Alegre, 25 - Produtores e indústrias de fumo chegaram a um acordo para reajuste médio de 13,1% na tabela de venda da safra 2008/09, cuja colheita está praticamente encerrada na Região Sul, que responde por 96% da oferta nacional. A Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) estima que, com a correção, o agricultor conseguirá uma margem de 24% sobre o custo de produção de R$ 10,9 mil por hectare.

O reajuste é retroativo, ou seja, será aplicado à parcela da safra já negociada. Com a correção, o quilo da variedade Virgínia, a mais valorizada, sobe para R$ 7,07 (classe BO1).

A venda da produção, estimada em 715 mil toneladas, está mais lenta que no ano passado, em parte por dificuldades de crédito das indústrias de menor porte, disse o presidente da Afubra, Benício Albano Werner. O setor calcula que 20% a 25% da safra foram negociados até agora, quando nesta época do ano passado o ritmo estava em 35%. O produtor também segurou um pouco a oferta para aguardar a definição de preços, avaliou o dirigente. As negociações chegaram a ser suspensas no final de janeiro. Os agricultores reivindicavam correção de 27,9%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.