Tamanho do texto

São Paulo, 02 - Os triticultores do Paraná estão retardando a comercialização da safra devido aos preços baixos do trigo. Levantamento do Departamento de Economia Rural (Deral) mostra que em 29 de dezembro 46% da produção havia sido negociada, ante 78% em igual período do ano passado.

A pressão sobre os preços vem da oferta - o Brasil colheu em 2008 uma safra recorde, de cerca de 5,8 milhões de toneladas, enquanto no ano anterior a produção ficou em torno dos 3 milhões de toneladas.

Como a demanda da indústria foi fraca nos últimos meses do ano por causa da restrição do crédito e de estoques remanescentes de trigo adquirido a preços mais altos, a cotação do cereal no mercado interno está em queda. De acordo com o Deral, no Paraná, principal Estado produtor do grão, produtor recebe, em média, R$ 25,80 pela saca de 60 quilos. "Já em abril e em maio de 2008, quando o trigo estava sendo semeado, o valor médio era de R$ 41,00", compara o engenheiro agrônomo Otmar Hubner, do Deral, em nota publicada no site da Secretaria de Agricultura.

O técnico informa que, para facilitar a comercialização do trigo para os produtores, o Banco do Brasil (BB) decidiu postergar a cobrança das 2ª, 3ª e 4ª parcelas do custeio para serem pagas pelos agricultores junto com a 5ª parcela, conforme a data do vencimento, em abril ou maio de 2009. "Com isso, os triticultores poderão aguardar para efetuar as vendas, na esperança de que ocorra reação nos preços."