#145;satisfatório #146; - Home - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Produtor de carne bovina acha modelo #145;satisfatório #146;

Enquanto os exportadores de suínos pedem um novo modelo para distribuição das cotas da Rússia para a importação de carnes, a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), que representa os exportadores de carne bovina, classifica o modelo atual como satisfatório. Para o diretor executivo da Abiec, Luiz Carlos de Oliveira, o fato de o Brasil estar na categoria de outros países é mais favorável do que ter cota fixa para exportação.

Agência Estado |

"O Brasil, que é muito competitivo, não fica limitado a uma quantidade fixa. Podemos abocanhar o volume que deixa de ser exportado por outros países", disse.

A Rússia é a principal importadora de carne bovina in natura do Brasil. Fontes do Ministério da Agricultura explicam que o Brasil atua num mercado "sem concorrentes de peso" no caso da carne bovina. Além disso, as características da pecuária de corte impedem a adoção de política de ampliação da produção na Rússia. "É fácil construir um galpão e criar aves e suínos, mas para ampliar a oferta de carne bovina é preciso ter áreas para pastagem. E a Rússia não tem", observou Oliveira.

A Rússia adotou uma política de substituição das importações como forma de desenvolver o mercado interno, o que certamente vai influenciar no volume de produção de frangos e suínos.

Mesmo diante das divergências entre produtores, proposta de alteração da política de importações com a adoção de cota única foi apresentada 6ª-feira, em São Paulo, por representantes dos exportadores de carne suína ao ministro da Agricultura da Rússia, Alexey Gordeev, que concordou com a proposta, segundo fonte do governo.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG