Belo Horizonte, 29 - A produção mineira de cana-de-açúcar destinada à indústria sucroalcooleira, em 2010, deve alcançar 56,2 milhões de toneladas, superando o recorde de 49,9 milhões de toneladas registrado no período anterior. O aumento previsto é de 12,6%, enquanto para a safra nacional do produto, com as mesmas finalidades, a previsão é de 664,33 milhões de toneladas, e, neste caso, o crescimento é de 9,9%, também garantindo recorde.

Belo Horizonte, 29 - A produção mineira de cana-de-açúcar destinada à indústria sucroalcooleira, em 2010, deve alcançar 56,2 milhões de toneladas, superando o recorde de 49,9 milhões de toneladas registrado no período anterior. O aumento previsto é de 12,6%, enquanto para a safra nacional do produto, com as mesmas finalidades, a previsão é de 664,33 milhões de toneladas, e, neste caso, o crescimento é de 9,9%, também garantindo recorde. Os dados constam de um levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado hoje. Segundo o estudo, Minas Gerais mantém a segunda maior área plantada de cana-de-açúcar destinada à indústria sucroalcooleira no Brasil. São 648 mil hectares dentro da área total do país reservada para este segmento. Ao analisar os números, o superintendente de Política e Economia Agrícola da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, João Ricardo Albanez, destacou que, de acordo com as estimativas, Minas consolidou a segunda posição nacional na produção de cana destinada à indústria de açúcar e álcool, atrás apenas de São Paulo. O superintendente disse que, no caso de Minas Gerais, a estimativa é de que a indústria alcooleira absorva 56% da produção e a indústria do açúcar adquira os 44% restantes. "Os dados da Conab mostram que, no Brasil, os percentuais previstos de absorção da cana-de-açúcar são semelhantes", afirmou Albanez. "As perspectivas da safra são positivas porque o mercado internacional do açúcar continua assegurado, principalmente porque a ¿?ndia, um dos principais exportadores e consumidores do mundo, ainda não recuperou a sua produção", acrescentou o superintendente. "Quanto ao etanol, o Brasil vai seguir buscando novos mercados pelo mundo, sendo favorecido por um cenário favorável ao consumo desse combustível, que é limpo e renovável." No entanto, segundo o superintendente, o grande foco da produção de cana-de-açúcar no mercado doméstico é a indústria do álcool, pois a maioria da frota brasileira é constituída por veículos flex. Outro fator que contribuiu para o aumento da safra foi a instalação de novas usinas no País. Das dez novas unidades, três estão em Minas Gerais, duas em São Paulo, duas em Goiás e as demais nos Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro. Os municípios que detêm o maior volume de produção de cana-de-açúcar em Minas Gerais estão localizados na região do Triângulo. São os seguintes: Uberaba, Conceição das Alagoas, Ituiutaba, Frutal e Iturama.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.