Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Produção industrial tem melhor primeiro semestre desde 2004, diz IBGE

SÃO PAULO - A produção das indústrias brasileiras cresceu 2,7% em junho contra maio, o que garantiu uma expansão de 6,3% no primeiro semestre, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esta foi a maior taxa de expansão desde 2004, quando a indústria avançou 8,3 por cento.

Redação com agências |

 

O avanço no mês foi o resultado mais expressivo desde os 3,5% verificados em outubro de 2007.

Perante o sexto mês de 2007, houve elevação de 6,6% na produção das indústrias. Em 12 meses, a alta correspondeu a 6,7%, a mesma apurada nos 12 meses imediatamente antecedentes.

Entre maio e junho, 23 das 27 atividades pesquisadas verificaram expansão, com a principal contribuição proveniente de veículos automotores (9,8%), seguido por máquinas para escritório e equipamentos de informática (14,2%), minerais não-metálicos (5,8%), outros produtos químicos (2,6%) e borracha e plástico (4,4%). Das quatro atividades com retração, o IBGE chamou a atenção para edição e impressão e alimentos, que declinaram 4,5% e 0,6%, respectivamente.

Neste mesmo período, 9 dos setores registraram recordes de produção. São eles veículos automotores; celulose e papel; refino de petróleo e produção de álcool (impulsionado pelo álcool); borracha e plástico; minerais não metálicos (puxados pela construção civil); metalurgia básica; outros equipamentos de transporte; mobiliário e produtos de metal.

Por categoria de uso, na base mensal, bens de capital subiram 7,7% e bens de consumo duráveis ampliaram-se 7%. Na casa dos 2%, ficaram bens intermediários (2,8%) e bens de consumo (2,2%). Semiduráveis e não-duráveis registraram alta de 1,2%.

Perante junho de 2007, 21 ramos investigados tiveram aumento na produção, sobressaindo veículos automotores, com 19,4% de crescimento, com maior impacto na formação da taxa global. Entre as categorias de uso, os principais acréscimos ficaram com bens de capital (20,3%) e bens de consumo duráveis (15,2%), ambas com expansão bem acima da média industrial, de 6,6%.

A produção em junho deste ano contou com um dia útil a mais do que em mesmo intervalo do exercício passado.

No corte trimestral, observou-se que o setor industrial, ao crescer 6,2% no segundo trimestre de 2008 frente ao segundo trimestre de 2007, sustenta resultados positivos há 19 trimestres consecutivos, e mantém o ritmo de crescimento observado no primeiro trimestre do ano (6,3%), observou o IBGE.

De janeiro a junho, influenciaram na expansão de 6,3% da atividade fabril 21 atividades analisadas. Novamente, o destaque coube a veículos automotores, com ampliação de 18,4%.

Os veículos automotores foram responsáveis, sozinhos, por 1,78 ponto porcentual do aumento de 6,3% na produção industrial apurado no primeiro semestre deste ano. O espalhamento do crescimento no próprio setor tem sido significativo, e 88% dos produtos pesquisados neste segmento registraram expansão no período.

Com informações da Reuters, Valor Online e Agência Estado

Leia mais sobre indústria

Leia tudo sobre: produção industrial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG