Tamanho do texto

O acréscimo mais acentuado foi verificado no Paraná, que teve alta de 17,7% e compensou a baixa de 15% em abril

A produção industrial registrou expansão em seis das 14 regiões analisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) entre abril e maio. O acréscimo mais acentuado  foi verificado no Paraná, que teve ampliação de dois dígitos (17,7%) e compensou a baixa de 15% registrada em abril.

Também fizeram parte do grupo com elevação da atividade fabril entre abril e maio Bahia (4%), Rio de Janeiro (2,8%), região Nordeste (1,6%), Pernambuco (1,5%) e Minas Gerais (1,1%).

Com decréscimo de 2% ou mais no comparativo mensal, figuraram Rio Grande do Sul (-2%), Amazonas (-2,2%), Goiás (-2,4%), Espírito Santo (-2,8%) e Pará (-2,9%).

Considerando o confronto com maio de 2009, todas as localidades tiveram alta na produção industrial, sendo nove áreas com avanço acima da média nacional, de 14,8% de expansão. Encaixaram nessa situação o Paraná, onde a indústria cresceu 31,3%, a taxa mais alta desde agosto de 1993 (35,2%), e o Espírito Santo, com acréscimo de 26,5%.

Integram a lista ainda o caso da indústria em Goiás (22,5%), Minas Gerais (22,4%), Pernambuco (22%), Ceará (20,2%), região Nordeste (19,9%), Bahia (17,9%) e Amazonas (17,6%).

Nos cinco primeiros meses de 2010, houve perfil generalizado de crescimento, com expansão na produção em todas as regiões. Com aumento acima dos 17,3% verificados pela produção industrial nacional, ficaram Espírito Santo (37,3%), Amazonas (29,4%), Goiás (25,7%), Minas Gerais (24,5%) e Pernambuco (18%).

Com agências

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.