RIO - A produção industrial aumentou 3,1% em 2008, crescimento esse menos marcado do que o apurado no ano antecedente, de 6%. Apenas no quarto trimestre do exercício passado, houve redução de 9,4% na atividade fabril no confronto com o período imediatamente anterior.

Em relação ao último trimestre de 2007, a queda foi de 6,2%, a mais significativa desde o primeiro trimestre de 1996 (-9,1%). Os dados foram apresentados nesta manhã pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O resultado de 2008 completo refletiu basicamente, conforme o organismo, a expansão de 6,3% na primeira metade do ano relativamente a igual período de 2007, já que o desempenho verificado no segundo semestre foi de avanço pouco expressivo (0,2%), em consequência da forte desaceleração da atividade industrial de outubro a dezembro.

No encerramento do ano passado, 17 setores registraram aumento na produção, com 11 deles acima da média nacional, como veículos automotores (8,2%) e máquinas e equipamentos (6%). Verificam acréscimo também outros equipamentos de transporte (42,2%), o segmento farmacêutico (12,7%) e minerais não-metálicos (8,3%).

Dentre as categorias de uso, bens de capital tiveram ampliação de dois dígitos, de 14,4%. Bens de consumo duráveis expandiram-se 3,8%, bens intermediários avançaram 1,6% e bens de consumo semi e não duráveis subiram 1,4%.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.