SÃO PAULO (Reuters) - A produção brasileira de veículos saltou 32,5 por cento em março na comparação com fevereiro e 20,3 por cento sobre o mesmo mês de 2009, para 331 mil unidades, informou nesta quarta-feira a associação nacional de montadoras, Anfavea.

No primeiro trimestre, a produção somou 826,7 mil unidades, alta de 24,4 por cento em relação ao mesmo período de 2009.

SÃO PAULO (Reuters) - A produção brasileira de veículos saltou 32,5 por cento em março na comparação com fevereiro e 20,3 por cento sobre o mesmo mês de 2009, para 331 mil unidades, informou nesta quarta-feira a associação nacional de montadoras, Anfavea.

No primeiro trimestre, a produção somou 826,7 mil unidades, alta de 24,4 por cento em relação ao mesmo período de 2009.

As vendas de veículos atingiram patamar histórico em março, a 353,7 mil unidades, aumento de 60,1 por cento sobre fevereiro e de 30,3 por cento ante o ano passado.

No trimestre, as vendas também foram recordes, a 788 mil, crescimento de 17,9 por cento na comparação com o começo de 2009.

A expectativa do mercado é de que as vendas de abril recuem na comparação contra março, devido ao forte movimento de antecipação de compras produzido pela expectativa dos consumidores com o fim do desconto do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).

As exportações de veículos em valores subiram 18,8 por cento mês a mês e saltaram 62,9 por cento na comparação anual, atingindo 1 bilhão de dólares. No trimestre, as vendas externas tiveram aumento de 58,8 por cento, para 2,6 bilhões de dólares.

Em unidades, as exportações em março somaram 57.929, alta de 9,4 por cento sobre fevereiro e de 66,6 por cento ante igual mês de 2009. No trimestre, foram exportadas 159.152 unidades, salto de 82,7 por cento.

As importações aumentaram 43,7 por cento mês a mês em março e 65 por cento ante um ano antes, para 58.142 unidades. No trimestre, a alta foi de 35,4 por cento.

O emprego no setor aumentou 0,8 por cento em março sobre fevereiro e 4,7 por cento na relação anual, para 127.764 postos de trabalho.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.