Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Produção diária da Petrobras cresce 4% no 2º trimestre

A média diária de produção de óleo e gás da Petrobras aumentou 4% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, atingindo 2,389 milhões de barris de óleo equivalente por dia. O aumento ocorreu em razão da entrada em produção dos navios-plataforma, que produzem petróleo e gás FPSO, Cidade do Rio de Janeiro (Campo de Espadarte) e Cidade de Vitória (Golfinho) e das plataformas P-52 e P-54 (Roncador). O adicional de produção compensou o declínio natural dos campos maduros.

Agência Estado |

Até a virada do ano, a Petrobras espera a entrada em produção de três novos grandes sistemas para os campos de Jabuti, Marlim Sul e Marlim Leste. Com isso, serão adicionados à capacidade de produção da empresa mais 460 mil barris por dia.

Recorde

A Petrobras atribui o lucro líquido recorde de R$ 8,783 bilhões apurado no segundo trimestre deste ano ao aumento dos preços médios de realização de petróleo e derivados e ao crescimento da produção de óleo e gás natural.

Em relatório de administração que acompanha o balanço do período, a companhia ressalta, no entanto, que o forte aumento do preço do petróleo no trimestre também comprimiu as margens de refino, limitando os ganhos. Entre o segundo trimestre de 2007 e o mesmo intervalo de 2008, o preço médio do barril de petróleo tipo Brent passou de US$ 70 para US$ 121.

A estatal também cita redução nas despesas operacionais como fator de influência ao aumento do lucro. Houve um decréscimo da ordem de R$ 91 milhões nos custos exploratórios, em resposta à queda nos gastos com geologia, geofísica e sísmica no exterior. Também houve uma redução de R$ 189 milhões em "outras despesas operacionais", em razão dos menores gastos com encargos e com multas contratuais referentes ao fornecimento de gás natural, no valor de R$ 211 milhões.

Em contrapartida, houve um efeito negativo de R$ 1,402 bilhão sobre o resultado financeiro líquido, devido à apreciação do real no segundo trimestre. Também ocorreu um aumento nos gastos com utilização de recursos no exterior, através de empresas controladas, no segmento internacional, em equipamentos de exploração e produção para uso no Brasil e na atividade comercial e sobre aplicações financeiras no exterior.

No relatório de resultados, a companhia destaca ainda efeito positivo de R$ 425 milhões no resultado não operacional, decorrente, principalmente, do ganho por mudança de participação em investimentos relevantes no setor petroquímico, devido à reestruturação societária que deu origem à companhia Quattor.

Investimentos

Os investimentos da Petrobras atingiram R$ 20,899 bilhões no primeiro semestre deste ano, representando uma aumento de 6% em relação ao mesmo período do ano passado. Na comparação entre o segundo trimestre deste ano e o mesmo intervalo de 2007, houve queda de 6,89%, passando de R$ 11,495 bilhões para R$ 10,702 bilhões.

Em seus comentários na divulgação do balanço, o presidente da empresa, José Sergio Gabrielli, destacou os investimentos previstos em refinarias com o objetivo de adicionar valor ao óleo, resultando em maior receita nas vendas internas e externas.

Leia tudo sobre: petrobras

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG