Brasília, 24 - O Estado de Sergipe deve produzir 700 mil toneladas de laranja este ano, estimou hoje o secretário da Agricultura e Desenvolvimento Agrário do Estado, Paulo Carvalho Viana, durante audiência pública promovida pela Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados. O total anual médio produzido no Estado ao longo da década de 1990, segundo Viana, foi de 1,2 milhão de toneladas.

Uma das causas da redução da atividade apontadas pelo secretário é a falta de repasse aos produtores rurais do aumento dos últimos anos no preço da commodity suco de laranja. De acordo com Viana, 50% da produção de laranjas em Sergipe destinam-se ao consumo in natura, e 50%, à indústria. "O preço para o consumo in natura é a indústria que determina, mesmo com a divisão de destino da produção", criticou o secretário.

O endividamento dos produtores é, na avaliação de Viana, outra ameaça à citricultura. De acordo com o secretário, apesar da crise no setor no ano passado, o grande problema não está concentrado no que ocorreu em 2009. "O ano passado foi apenas a gota d'água. De modo geral, não há integração da cadeia produtiva, e faltou diálogo entre seus elos", disse.

Isso ocorre, segundo o secretário, em decorrência da grande concentração no setor agroindustrial. A produção de laranjas em Sergipe ocorre em 14 municípios, o que significa, segundo Viana, a utilização de um quarto de todo o território do Estado, que tem cerca de 22 mil quilômetros quadrados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.