SÃO PAULO - A produção brasileira de alumínio primário manteve sua trajetória de crescimento em setembro, embora pequena, com elevação de 0,9% perante o mesmo mês de 2007. O setor atingiu 137,8 mil toneladas no período.

No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o volume da produção alcançou 1,245 milhão de toneladas, subindo 0,8% em relação ao registrado nos nove primeiro meses do ano passado.

Conforme os dados da Associação Brasileira do Alumínio (Abal), responsável pelo levantamento, a produção brasileira de alumínio no mês passado foi encabeçada pela Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), com 38,2 mil toneladas, o que significa uma queda de 0,5% em relação ao ano passado. Na avaliação do desempenho da companhia entre os meses de janeiro e setembro, no entanto, a produção foi elevada em 4,1% - a maior alta registrada no período em todo setor - com 348,1 mil toneladas.

Acompanhando a CBA de perto, a Albras deteve a segunda maior produção em setembro (37,9 mil toneladas) e nos primeiros nove meses do ano (343,2 mil toneladas). Embora seu desempenho tenha sido 0,3% superior ao registrado em setembro do ano passado, a empresa mostra declínio de 0,2% no acumulado de 2008.

Em seguida, o levantamento da Abal para o mês de setembro mostra a produção da Alcoa, com 30,4 mil toneladas (alta de 1,3% sobre o ano passado), da BHP Billiton, com 14,8 mil toneladas (alta de 0,7%), da Novelis, com 8,8 mil toneladas (alta de 7,3%), e da Vale Sul com 7,8 mil toneladas (alta de 2,6%).

A expectativa da Abal é que a produção deste ano seja 0,4% maior, atingindo 1,662 milhão de toneladas, contra o total de 1,654 milhão de toneladas apuradas em 2007.

(Adilson Fuzo | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.