Índice de difusão atingiu em março o maior nível da série histórica do IBGE, iniciada em 2003

A indústria brasileira acentuou em março o movimento de alta na produção. O índice de difusão, divulgado nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), teve avanço em 77% dos 755 produtos pesquisados no mês de março. Trata-se do melhor resultado desde o início da série histórica, em 2003.

O índice de difusão mede o total dos produtos da indústria que apresentaram alta no período.
No mês de março, a produção industrial cresceu 2,8% frente ao mês anterior. Segundo o IBGE, com a alta de 5,7% acumulada nos últimos quatro meses, a indústria “praticamente eliminou” as perdas de 20,6% acumuladas nos três últimos meses de 2008, após o estouro da crise mundial. No primeiro trimestre de 2010, a produção da industria cresceu 18,1%.

“Os corroboram que o primeiro trimestre do ano foi excepcional para a indústria, o que deve garantir um desempenho robusto do PIB no período.”, informou a consultoria Rosenberg & Associados, em relatório “Alguma desaceleração na margem deve ocorrer nos próximos trimestres, contudo, com a retirada da maior parte dos incentivos dados durante a crise”, completou.

Em março, a produção industrial cresceu em 19 dos 27 setores da indústria no País. Os veículos automotores (10,6%) responderam pelo maior ganho. alimentos (5,0%), máquinas e equipamentos (5,2%), bebidas (7,6%) e celulose e papel (6,4%) completam a lista das altas mais significativas.

O segmento bens de capital teve a maior alta entre as categorias de uso, com expansão de 3% frente a fevereiro. Bens de consumo semi e não duráveis (1,3%) cresceu pelo quarto mês seguido, enquanto bens intermediários (1,3%) retomou a trajetória de alta, após queda de 0,5% em fevereiro. Já o segmento de bens de consumo duráveis, que acumulou alta de 9,2% nos dois últimos meses, ficou praticamente estável em março, com leve alta de 0,1%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.