Tamanho do texto

Demanda do consumidor por crédito cresce 18,3% em março e vai ao maior patamar desde o início da série histórica

A procura dos consumidores por crédito atingiu patamares recordes no mês de março. Segundo dados do Indicador Serasa Experian de Demanda do Consumidor por Crédito, divulgados nesta segunda-feira, houve crescimento de 18,3% em março, frente a fevereiro. “Tal resultado fez o indicador atingir, em março de 2010, patamar recorde desde janeiro de 2007, mês em que o indicador passou a ser calculado”, informou a Serasa.

De acordo com a instituição, a alta em março pode ser atribuída ao fim da redução de IPI em determinados produtos, como automóveis, móveis e linha branca. Além disso, o mês teve cinco dias úteis a mais que fevereiro.

“Além disto, a atual conjuntura favorável da inadimplência do consumidor e da evolução da massa real de rendimentos também constituem alavancas importantes para o crescimento vigoroso do crédito, observado já há alguns meses”, apontou a Serasa.

Na comparação com março de 2009, o crescimento na demanda por crédito cresceu ainda mais: 32.5% - a maior expansão desde o início do indicador. Em março do ano passado, o índice estava no menor nível da história, devido à crise mundial.

Nos três primeiros meses do ano, a demanda por crédito cresceu 21,6%.

Região

Com a economia em processo de aquecimento, a região Nordeste respondeu pela maior alta na demanda de crédito em março, com crescimento de 21%. Sul (20,8%), Norte (19,2%) e Sudeste (18,5%) também tiveram forte alta. No Centro-Oeste, a alta foi de 7,6%.

“No entanto, o Centro-Oeste ainda apresenta uma das maiores taxas de crescimento no acumulado do ano para a demanda dos seus consumidores por crédito: alta de 22,2%, somente ficando atrás da região Sudeste (expansão de 23,2%)”, concluiu a Serasa.

Renda

Os consumidores com renda mensal abaixo de R$ 500 tiveram alta de 32,9% na procura por crédito em março, frente ao mês anteriores. Já aqueles com ganhos entre R$ 5 mil e R$ 10 mil elevaram a demanda em 32,8%.

Para aqueles com renda acima de R$ 10 mil, a alta na procura por crédito no mês foi de 32,2%;

“Apesar do ótimo desempenho registrado em março, os consumidores de baixa renda registram a menor taxa de crescimento da demanda por crédito no acumulado do primeiro trimestre de 2010: 18,4%. Já os consumidores de alta renda (acima de R$ 10 mil por mês) estão com 31,9% de crescimento, a maior taxa entre todas as faixas de renda”, completou a Serasa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.