SÃO PAULO - O ex-líder sérvio-bósnio Radovan Karadzic, acusado de comandar o genocídio de 8 mil bósnios muçulmanos em Srebrenica, foi preso ontem. Fazia 13 anos que ele vivia foragido.

Karadzic era um dos homens mais procurados do mundo e sua prisão era uma das condições essenciais para o avanço processo de entrada da Sérvia na União Européia. O presidente sérvio, Boris Tadic, é um defensor de que o país entre para o bloco.

Fontes disseram que Karadzic esteve sob vigilância por diversas semanas, graças a uma informação fornecida por um serviço de inteligência estrangeiro. Karadzic já foi descrito como o Osama bin Landen da Europa , mas era visto por militares nacionalistas como um herói, depois do fim da Iugoslávia.

Karadzic deve ser transferido agora para a Corte de Haia. Países ocidentais sempre suspeitaram que Belgrado não vinha se esforçando para encontrá-lo.

(Valor Econômico)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.