O primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, afirmou neste sábado que permanece preocupação com relação à prisão na China de Stern Hu, executivo da mineradora Rio Tinto, que foi acusado de pagar suborno para obter segredos de Estado.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577481905&_c_=MiGComponente_C

Rudd disse que levantou a questão durante um encontro com o primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, e que a prisão de Hu continuará a ser assunto de "intensas" discussões entre os Ministérios de Relações Exteriores da Austrália e China.

Hu está preso desde 5 de julho, junto com outros três funcionários chineses da Rio Tinto. A China alega que eles pagaram suborno para obter segredos de Estado durante as negociações anuais sobre o preço do minério de ferro.

Em comunicados anteriores, autoridades chinesas defenderam seu direito de proteger a segurança econômica da China, alertando o governo australiano de que qualquer tentativa de interferir na investigação não seria do interesse da Austrália. A Rio Tinto, por sua vez, nega as alegações de que seus funcionários estejam envolvidos em casos de corrupção.

Leia mais sobre: Rio Tinto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.