Paralisação foi marcada para o dia 15 de dezembro em protesto pelas medidas de austeridade do governo

O sindicato majoritário do setor privado da Grécia (GSEE) convocou hoje uma greve de 24 horas para o dia 15 de dezembro, em protesto pelas medidas de austeridade do Governo para reduzir o déficit fiscal. Em comunicado, o sindicato declara que "a resposta ao acordo europeu com o Fundo Monetário Internacional (FMI) é um acerto de proteção social e dos direitos dos trabalhadores". Além disso, rejeita "qualquer tentativa do Executivo de aplicar novas medidas econômicas para o próximo ano".

O GSEE escolheu para o protesto uma data que coincide com o início do debate no Parlamento grego sobre os orçamentos de 2011, que devem ser tramitados e votados em torno do Natal. O sindicato pede que o Governo volte a pagar os dois salários retirados dos funcionários e dos empregados das empresas semi-estatais que o GSEE representa.

"Enviamos uma mensagem a todos os trabalhadores, que chegaram ao limite da tolerância e não aceitarão novos cortes", indica o comunicado. Perante a esperada alta no desemprego, de 12% para 14% nos próximos meses, o sindicato pede um aumento do subsídio básico de desemprego, de 460 a 870 euros mensais. Segundo o GSEE, esta será "a sétima greve geral" neste ano, já que o sindicato "representa dois milhões de trabalhadores de todos os setores". Por enquanto, a União de Funcionários, que reúne cerca de 750 mil empregados do setor público, não se pronunciou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.