Tamanho do texto

Atenas, 22 mar (EFE).- O primeiro-ministro grego, Giorgos Papandreou, descartou hoje a saída da Grécia da zona do euro e lançou um desafio à União Europeia (UE) ao dizer que seria útil que a UE percebesse que tem uma arma poderosa capaz de desanimar os especuladores.

Em uma sessão extraordinária do Parlamento grego sobre o plano de estabilidade e desenvolvimento da economia do país, o primeiro-ministro insistiu que não há "pedido de dinheiro (à Europa)", embora encoraje a UE a fornecer apoio.

"Nós conseguiremos seguir adiante, mas seria útil que a UE percebesse que tem uma arma poderosa capaz de desanimar os especuladores", afirmou o dirigente socialista, em referência à cúpula da próxima quinta-feira, na qual os líderes europeus devem debater mecanismos de apoio à Grécia.

Papandreou declarou que "todos (os membros da UE) reconhecem a perspectiva e a utilidade de novas ferramentas estruturais para a estabilidade da zona do euro, que deveria se chamar Fundo Monetário Europeu, bônus europeu, garantia para créditos".

O chefe do Governo grego explicou que, "com uma mistura de falta de credibilidade, com a grave situação dos mercados internacionais e do sistema político de muitos países, foi fácil para a Grécia ser o mau exemplo da nova fase da crise mundial".

Papandreou lembrou o rigoroso programa de contenção de gastos do Governo e assegurou que "a Grécia já não é o problema". EFE afb-as/pb/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.