Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Primeira fase do leilão de energia de reserva garante 35 MW médios

SÃO PAULO - Terminou há pouco a negociação da primeira tranche do leilão de energia de reserva, voltado exclusivamente para os projetos de co-geração de energia a base de biomassa. Apenas três usinas venderam energia nesta primeira fase, que prevê a entrega a partir de 2009, e vão agregar ao sistema elétrico uma potência instalada de 229 MW.

Valor Online |

A energia que efetivamente foi contratada, entretanto, é de apenas 35 MW médios e que serão entregues a cada ano de forma escalonada. Em 2009, chegam ao sistema 23 MW médios e a partir de 2011 é que, anualmente, 35 MW médios serão agregados. Os contratos têm duração de 15 anos e as usinas vendedoras foram Clealco, Cocal e Ferrari que não podem participar da segunda tranche.

A receita fixa das usinas será de R$ 48,24 milhões a partir de 2011. Pelo menos uma das usinas, a Cocal II Açúcar e Álcool, conseguiu vender energia ao preço máximo estabelecido para o leilão, de R$ 157 MW/h. A empresa foi a maior vendedora dessa primeira fase e entregará 16 MW médios a partir de 2009 e chegando a 22 MW médios em 2011. A receita da empresa ficará em sua capacidade máxima em R$ 30 milhões. As outras usinas, Clealco e Ferrari, conseguiram vender a R$ 156,49 e R$ 156,76, respectivamente.

Ao todo 44 usinas se habilitaram para participar do leilão e deram garantias físicas para entregar 1.200 MW médios. O volume pequeno negociado para entrega em 2009 já era esperado, pois grande parte das usinas habilitadas só têm condições de colocar energia no sistema a partir de 2010. A nova tranche de negociações não deve começar antes das 13h. O leilão está sendo realizado virtualmente, sendo comandado a partir da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em São Paulo.

(Josette Goulart | Valor Econômico, para o Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG