Tamanho do texto

A arrecadação da Previdência Social de setembro, que totalizou R$ 14,09 bilhões, caiu 2,3% ante agosto (R$ 14,42 bilhões). Segundo o secretário de Previdência Social, Helmut Schwarzer, essa queda é explicada pelo refinanciamento de dívidas dos municípios com o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) permitida por uma lei federal editada no final do primeiro semestre deste ano.

"Esse fator reduziu a nossa recuperação de crédito este mês em torno de R$ 150 milhões", observou.

O secretário destacou, no entanto, que no acumulado do ano a arrecadação previdenciária - que soma R$ 126,1 bilhões - está 4,6% superior ao acumulado em igual período de 2008. Antes do agravamento da crise financeira em setembro do ano passado, a taxa de crescimento da arrecadação previdenciária era o dobro desse patamar, já que o mercado de trabalho formal crescia em ritmo mais acelerado do que o atual.

Para o ano de 2009, o Ministério da Previdência mantém a projeção inicial de déficit de R$ 41,4 bilhões. O secretário admitiu hoje, no entanto, que esse número poderá ser revisado no próximo mês por causa de dois fatores, que são a renegociação das dívidas dos municípios e o ritmo da recuperação de créditos previdenciários. "São dois fatores de uma pressão provável sobre as contas da Previdência", afirmou.

Ainda segundo Schwarzer, a arrecadação em setembro ficou praticamente estável em relação a setembro do ano passado. O número representou uma leve elevação de 0,42% ante mesmo mês de 2008, quando, segundo os dados do ministério, houve R$ 14,03 bilhões de receitas previdenciárias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.