Preste atenção em cabos e conexões para ter o som perfeito Por Jocelyn Auricchio São Paulo, 08 (AE) - O grande segredo para integrar seus aparelhos é conectá-los corretamente, utilizando as melhores cabos disponíveis. O tipo de conexão mais simples é o RCA, presente em praticamente todo aparelho de som.

É aquele cabo com um plugue redondo e um pequeno bastão no centro, geralmente colorido e múltiplo (dois ou três conectores). O único cuidado que se deve tomar ao utilizar essa conexão é não inverter os canais. Conecte apenas os cabos e entradas da mesma cor, para não bagunçar o som estéreo so seu equipamento.

Alguns aparelhos têm entradas e saídas do tipo mini-estéreo, o mesmo plugue usado em discmans, tocadores de MP3 e fones de ouvido e microfones em geral. Aí, não tem mistério: basta conectar a saída de áudio do seu tocador à entrada do seu aparelho de som.

Algumas vezes, você vai precisar de uma solução mista para integrar os aparelhos, como no caso de um tocador com saída mini-estéreo e um mini-system com entrada RCA. Existem no mercado vários modelos de cabos adaptadores que permitem que esses tipos diferentes de conexões funcionem entre si. É o chamado cabo mini-estéreo x RCA.

O áudio digital usado por alguns mini-systems e home theaters precisa de mais qualidade para ser transferido, pois não são apenas dois canais de áudio, mas cinco, seis e até sete canais a serem transmitidos. Para evitar uma verdadeira salada de cabos, a melhor solução é utilizar os padrões digitais de cabos e conexões. O cabo coaxial, muito parecido com o cabo RCA, mas com apenas um terminal, transfere o som codificado digitalmente entre tocadores de DVD e mini-systems, além de outros aparelhos. O som é traduzido em impulsos elétricos digitais, que viajam pelo cabo e são decodificados pelo aparelho de som.

O tipo mais moderno de conexão digital é a conexão óptica. Funciona exatamente como a conexão coaxial digital, mas, em vez de viajar em um cabo de cobre, os sinais digitais são transmitidos por laser por um cabo feito de fibra óptica. É o tipo de cabo mais caro (custa em média R$ 80 o metro), mas é a solução mais elegante e confiável para transportar som. A conexão óptica pode ser encontrada em videogames de última geração, como o Xbox 360 e o PlayStation 3, além de tocadores de Blu-ray e conversores de TV Digital, que funcionam com 5.1 canais de som.

Apenas para ficar claro. A sigla 5.1 é automaticamente associada, com razão, a sons de qualidade. Na prática, significa que há cinco caixas de som espalhadas pela sala (ou cinco saídas), além, de uma central. Por isso a característica de imersão típica do cinema.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.