Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Pressão no atacado diminui e IGP-M sobe 0,38% no mês

Por Renato Andrade SÃO PAULO (Reuters) - A inflação dos preços no atacado teve uma forte desaceleração em novembro o que garantiu um avanço discreto do índice de preços utilizado para reajustar aluguéis e algumas tarifas públicas no país no período, mostraram dados divulgados nesta quinta-feira.

Reuters |

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) encerrou o mês com alta de 0,38 por cento, uma forte desaceleração frente ao salto de 0,98 por cento de outubro, mostraram dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quinta-feira.

A desaceleração foi mais acentuada do que esperavam analistas consultados pela Reuters na véspera, que projetavam uma variação de 0,46 por cento para o índice em novembro, de acordo com a mediana e a média das projeções de 20 instituições.

O Índice de Preços por Atacado (IPA), um dos três componentes do IGP-M e que responde por 60 por cento do indicador, registrou alta de 0,30 por cento em novembro, ante avanço de 1,24 por cento em outubro.

Os preços dos alimentos processados foi um dos que mais contribuiu para a desaceleração. Em outubro, este segmento havia registrado um ganho de 1,95 por cento. Em novembro, entretanto, os preços caíram 0,20 por cento.

Mas os preços na ponta consumidora seguiram o caminho oposto. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que responde por 30 por cento do IGP-M mais que dobrou, avançando 0,52 por cento no mês, depois da alta de 0,25 por cento em outubro.

Mais uma vez, os Alimentos foram os principais responsáveis pelo avanço dos preços para os consumidores. Produtos como as carnes bovinas, que tinha subido 2,39 por cento em outubro, registraram um reajuste de 4,47 por cento este mês.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) apresentou variação de 0,65 por cento, uma desaceleração frente ao ganho de 0,85 por cento de outubro.

O IGP-M foi calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 de outubro e 20 de novembro.

No ano, o índice acumula alta de 9,95 por cento. Nos últimos 12 meses, o ganho foi de 11,88 por cento.

Leia tudo sobre: igpm

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG