O presidente da Rússia, Dimitri Medvedev, propôs nesta quarta-feira a celebração em Moscou, no dia 17 de janeiro, de uma reunião de cúpula de consumidores de gás russo, num momento em que a Europa enfrenta a escassez do produto, devido ao corte de fornecimento através da Ucrânia.

O presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso, chegou a ameaçar nesta quarta-feira Rússia e Ucrânia com ações judiciais, caso o fornecimento não seja restabelecido de maneira "urgente".

"Quero enviar uma mensagem clara a Moscou e Kiev", declarou Barroso no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, leste da França.

"Caso não seja cumprido o acordo com a UE de forma urgente, a Comissão Européia aconselhará as companhias européias que levem o caso aos tribunais e pedirá aos Estados membros a adoção de uma ação coordenada para encontrar os meios alternativos de fornecimento de energia e de trânsito", acrescentou.

ao-alf/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.