Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Presidente romeno denuncia que crise financeira se deve também à corrupção

Bucareste, 22 out (EFE).- O presidente romeno, Traian Basescu, afirmou hoje que a atual crise financeira mundial é gerada, em grande parte, pela corrupção, e que o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial (BM) e as sociedades de qualificação de risco provaram sua ineficácia.

EFE |

"Vou precisar uma coisa que não temos a coragem de dizer abertamente. Grande parte desta crise financeira é gerada pela corrupção", disse Basescu, em reunião regional dos países banhados pelo Mar Negro organizada em Konstanz (Romênia) pela Fundação Konrad Adenauer (KAS).

Basescu disse que especialistas bancários implementaram "instrumentos tóxicos" de financiamento, o que levou a uma grande "exposição".

Pessoas "com estudos em Harvard e Oxford inventaram como alguém pode fazer suas ações crescerem sem ter dinheiro e como pode dar créditos sem ter dinheiro", disse o presidente.

Basescu disse que o modo de retribuição dos diretores de bancos é um dos fatores que geraram os "mecanismos tóxicos", dado que estes recebem gratificações de milhões para o "êxito" de conceder créditos sem cobertura real.

O presidente ressaltou que este mecanismo que levou à derrubada de todo um sistema nos EUA e, parcialmente, na União Européia (UE) provou ser mais forte que as instituições criadas para zelar pelas finanças do mundo: o FMI, o BM e as companhias de qualificação de risco.

Basescu lembrou que, no último Conselho Europeu (na semana passada), o papel destas instituições como "pilares" da segurança financeira foi questionado no futuro, e afirmou que os países da UE estão tomando medidas sumamente fortes para diminuir a crise financeira e garantir o crescimento econômico. EFE av/an

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG