Tamanho do texto

O presidente do Federal Reserve da Filadélfia, Charles Plosser, afirmou nesta terça-feira que não leva a sério a ameaça de deflação que já preocupa muitos analistas nos Estados Unidos.

"A forte queda dos preços do petróleo (...) gerou recentemente uma baixa do índice de preços ao consumidor, o que levou alguns comentaristas a insinuar que os Estados Unidos estariam ameaçados por uma longa deflação, como aconteceu durante a Grande Depressão e no Japão (nos anos 90). Eu não acredito que esta ameaça seja grave", argumentou Plosser durante um discurso em Rochester, no estado de Nova York.

"É verdade que a recente derrubada espetacular dos preços da energia gerou uma redução do índice de preços ao consumidor, mas esta ainda registrou uma alta de 3,7% durante os 12 últimos meses, e o índice de base (excluindo alimentação e energia), uma alta de 2,3%", acrescentou.

"Não estamos, portanto, à beira de uma deflação longa. As recentes quedas são simplesmente o reflexo das altas que vimos antes ao longo do ano", afirmou Plosser.

"Uma vez que as previsões de inflação permanecerão inalteradas, estas quedas dos preços da energia não devem levar a uma deflação longa", concluiu.

mj/ap/sd