O presidente do Deutsche Bank, o suíço Josef Ackerman, abriu mão do prêmio anual a que tem direito, de milhões de euros, por solidariedade em um momento de crise financeira, declarou ao jornal Bild am Sonntag.

"Anunciei ao conselho de supervisão do Deutsche Bank que renunciei neste ano difícil a meu prêmio em favor dos funcionários que trabalham duro e precisam de dinheiro mais do que eu", afirmou o presidente do maior banco alemão.

Ackerman disse que pretende dar uma "mostra pessoal de solidariedade".

ilp/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.